quinta-feira, 6 de março de 2014

CASARÃO É RESTAURADO PARA RECEBER INSTITUTO HISTÓRICO



Garanhuns na próxima segunda-feira, 10 de março, comemora 203 desde a Carta Régia que elevou à categoria de vila o antigo povoado, em 1811, marco do desenvolvimento do interior do Nordeste.

Para comemorar a data recentemente resgatada pela Câmara Municipal, o Instituto Histórico e a Prefeitura de Garanhuns estão promovendo uma série de eventos, com palestras, exposições, lançamento de livros e shows culturais.

Dentre as atividades, será aberta oficialmente a casa sede do Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns, que abrigará também o Museu Municipal. A casa pertenceu a vultos políticos e comerciantes de Garanhuns, como ex-prefeitos, a exemplo de Souto Filho, que se tornou a principal referência do imóvel localizado próximo à Praça Cultural Mestre Dominguinhos. A atual gestão municipal, tendo à frente o prefeito Izaías Régis, fez a cessão da casa ao Instituto, para o objetivo cultural e histórico municipal.

A restauração está em fase final de acabamento, e durou mais de dois meses. "Não foi possível a restauração completa, como gostaríamos, diante do quadro de descuido nos últimos anos, mas com muito esforço, o Instituto Garanhuns fez os investimentos necessários para esta abertura. Contamos com futuros projetos para dar continuidade às obras" - relata o presidente da Câmara de Vereadores, Audálio Filho, membro do Instituto Garanhuns.

O presidente do Instituto, o professor e historiador Cláudio Gonçalves, presidente do Instituto,afirma que a  programação conta também com o apoio de outras instituições: "Teremos palestras com membros do Arquivo Público Estadual, que conta com vários documentos históricos de Garanhuns, em uma programação que resgata nosso município no tempo, aliás, em 203 anos, neste 10 de março, como sempre foi comemorado ao longo dos anos".


PARA SABER MAIS
Pequeno Memorial Sobre a Casa de Souto Filho - Por Igor Cardoso
Membro do Instituto Garanhuns

Em estilo eclético, foi projetado pelo arquiteto italiano Bruno Giorgio no ano de 1919, sob encomenda do ex-prefeito cel. José de Almeida Filho, próspero comerciante local e proprietário da Empresa de Melhoramentos de Garanhuns (EMG).

O imóvel é bastante representativo do apogeu do Ciclo do Café na região: para se ter uma ideia desse período de prosperidade, todo o madeiramento para o assoalho e lambri foi importado do Pará.

Pouco tempo depois, foi adquirido pelo político cel. Antônio da Silva Souto Filho, tornando-se uma espécie de "quartel general" do líder na cidade. Souto Filho passava horas no porão habitável, um espaço imenso, recebendo amigos e correligionários. Ali funcionava o seu gabinete, guarnecido com móveis de jacarandá e uma imensa mesa redonda.

Assim, nos primeiros anos de sua História, o belo casarão da Praça Dom Moura, nº. 44, pertenceu a dois ex-Prefeitos*.  Pouco tempo depois da morte de Souto Filho, em 1939, o cel. José Custódio das Neves, cafeicultor e futuro Prefeito de Brejão, adquiriu o casarão e a família o conservou até 2004, quando a Prefeitura finalmente o comprou, na gestão do ex-Prefeito Luiz Carlos de Oliveira.

Na primeira reunião do Instituto Histórico com o atual Prefeito Izaías Régis, em 24 de janeiro de 2013, o Sodalício obteve do Edil o compromisso de proceder à cessão do imóvel para lhe servir de sede.

Ainda no primeiro semestre de 2013, atendendo a projeto de iniciativa do Executivo, que o enviou já com o termo de cessão assinado, a Câmara de Vereadores autorizou o pleito nas sessões dos dias e 02 e 07 de
maio.

No dia 10 de março de 2014, em evento em comemoração aos 203 anos do Município de Garanhuns e aos dois anos do Instituto, este reinaugurará a tradicional residência, então sob os seus cuidados. Em breve, o
edifício deverá abrigar também o Museu Histórico de Garanhuns.

*Almeida Filho foi prefeito de 1919 a 1922; Souto Filho elegeu-se em 1929, mas não chegou a governar: renunciou em favor do cunhado e Vice, cel. Euclides Dourado, ex-Prefeito na gestão anterior.