segunda-feira, 13 de outubro de 2014

PARA PT, APOIO DE RENATA CAMPOS A AÉCIO É MAIS IMPORTANTE QUE O DE MARINA SILVA


Assessores da presidente Dilma Rousseff (PT), que disputa à reeleição, avaliam que o apoio da ex-primeira-dama de Pernambuco Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos (PSB), foi mais importante para o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) do que a manifestação favorável da candidata derrotada Marina Silva (PSB).

Os petistas avaliam que, com o gesto da família Campos, que também representa a família do ex-governador Miguel Arraes, avô de Eduardo Campos, uma “janela” poderá ser aberta na região Nordeste em favor do presidenciável tucano. 

A primeira avaliação é que familiares de Eduardo Campos, morto num acidente aéreo no mês de agosto, podem garantir vantagem ao PSDB em Pernambuco. No primeiro turno, Marina Silva liderou as eleições no estado com 48,5% dos votos, contra 44,22% de Dilma e 5,92% de Aécio Neves. Neste segundo turno, a tendência é que o PSB trabalhe para transferir os votos de Marina no estado para o candidato tucano.

O apoio de Renata Campos foi declarado neste sábado (11). Marina sinalizou o apoio a Aécio um dia depois. Para os petistas, Marina perdeu o protagonismo porque demorou a declarar seu voto ao tucano. Os petistas enxergam o gesto de Marina como um “troco” pela campanha de desconstrução que o partido fez da candidata no primeiro turno. Marina, antes de passar pelo PSB, foi filiada ao PT por mais de 20 anos.

O ex-presidente Lula, inclusive, tentou interferir na decisão de Renata Campos. Após a apuração do primeiro turno e a confirmação da derrota de Marina, o petista ligou para a viúva de Campos e pediu para que ela declarasse apoio ao PT. Lula chegou a usar o tom sentimental na argumentação, afirmando que considerava Eduardo Campos como um filho. O petista, que também de antigas parcerias dos dois partidos, não conseguiu convencer a socialista.

Um ministro do governo da presidente Dilma disse ao jornal Folha de S. Paulo desta segunda-feira que as manifestações de apoio a Aécio criaram uma agenda positiva para o PSDB. “Principalmente em uma semana coroada por depoimentos da (investigação da Polícia Federal) Lava Jato e o avião envolvendo assessor de Fernando Pimentel”.

Da redação Sináculo
Fonte: Diário de Pernambuco
Imagem: Reprodução / Internet