terça-feira, 9 de dezembro de 2014

AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATEU ADQUAÇÕES PARA O COMÉRCIO DE COMÉRCIO DE CARNES EM GARANHUNS


      



           Em audiência realizada na manhã de hoje (08), no auditório do Ministério Público Estadual de Pernambuco (MPPE), em Garanhuns, com a presença do promotor Alexandre Bezerra e representantes da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), Vigilância Sanitária e Ambiental de Garanhuns e Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, foram discutidos os próximos passos do Programa Carne de Primeira com os comerciantes de carnes da Central de Abastecimento de Garanhuns (Ceaga), Mercado Dezoito de Agosto e das feiras livres.

              Os comerciantes de carne (bovinos, suínos, caprinos, ovinos e aves) terão um prazo de seis meses para se adequarem às exigências técnicas e sanitárias da Vigilância Sanitária Estadual e Municipal para poderem comercializar os seus produtos. Além disso, os comerciantes deverão procurar o órgão responsável para receber as orientações para se adequarem antes do início da fiscalização de possíveis irregularidades.

                O promotor Alexandre Bezerra também advertiu os presentes de que na área urbana do município não se pode desenvolver criatório de animais, como galinhas, suínos, caprinos, ovinos, cavalos e burros acima do número legal definido pela legislação. Nesse sentido, foi concedido o prazo de 30 dias para que os criatórios existentes sejam desativados ou removidos da área urbana. No final desse prazo, isto é, 30 dias, ocorrerá uma intensa fiscalização, alertou.

              A coordenadora da Vigilância Sanitária de Garanhuns, Katharina Almeida, informou que: “o abate de bovinos, caprinos, ovinos e suínos para comercialização só poderá ser realizado no matadouro licenciado de acordo com o artigo 273, do Código Sanitário de Pernambuco. O animal abatido fora do matadouro é considerado abate clandestino, sendo considerado crime”, acrescentou.

             A representante da Adagro, Verônica Vital, aconselhou os comerciantes de bovinos, suínos, ovinos e caprinos a procurar o órgão para se adequarem às exigências legais, principalmente em relação a emissão do GTA (Guia de Transição Animal) e do cadastro do criatório.

                 O secretário de Agricultura e Abastecimento, Epaminondas Borges Filho, sugeriu que os comerciantes escolhessem seis representantes por categoria, isto é, comerciantes de bovinos, suínos, caprinos e ovinos, comerciantes de aves e comerciantes de peixe para juntos com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Vigilância Sanitária iniciar as discussões sobre a regularização da comercialização, em virtude das especificidades de cada tipo de carne.

Assessoria de Imprensa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de Garanhuns
Foto: Divulgação
Informações para a imprensa:
(87) 3762.0109 (Secom/PMG)

    • Portal do Contribuinte
    • Programas Sociais
    • Portal da Transparência
    • Portal da Controladoria
    • Acompanhar Documentos/Processos
    • Ouça nossas matérias gravadas
    • Jornal Garanhuns Informa

    • IPSG
    • AESGA
    • AMSTT