terça-feira, 14 de abril de 2015

"ARAL" ESTÁ PRESENTE NO FESTIVAL VIVA DOMINGUINHOS - NOTA DE ESCLARECIMENTO


"ARAL" é um espetáculo musical que marca o encontro entre Alexandre Revoredo, Rogério Diniz e Adiel Luna. O show é baseado no trabalho autoral dos artistas, além de traçar um passeio pelo cancioneiro e poesia popular, e está na programação do Festival Viva Dominguinhos, no palco principal.

Foi através dessa verve poética e da atenção e dedicação a uma obra musical mais elaborada que se deram os encontros entre os compositores. Além das canções autorais, o repertório reúne nomes como: Quinteto Violado, Chico César, Valdir Azevedo, Luiz Gonzaga, além do saudoso Dominguinhos. 

A proposta estética do espetáculo "ARAL" é trabalhar a música agregando-a a poesia popular e suas formas, como o cordel e os sonetos. O espetáculo é um show dinâmico de interpretação, onde os artistas se revezam em canções, parcerias, declamações e instrumentos como a viola, o pífano, violão e percussão, além de contar com o floreado da sanfona do grande instrumentista Zezinho do Acordeon, passeando por diversos ritmos populares como o baião, a moda, a ciranda, o xote, o repente, o afoxé e a gafieira.

Direção criativa e fotografia:Espaço em Branco - Zé Lucas



                   O Coletivo Tear, empresa de produção artística, vem através deste, esclarecer alguns pontos acerca do show "ARAL - Alexandre Revoredo, Rogério Diniz e Adiel Luna ". 

                O projeto ARAL, tem seu fundamento na poesia e rítmica popular, de raiz nordestina e traz em sua amálgama a cantoria, o baião, a moda, o repente, o coco, o cordel e a poesia popular. Criado a partir da parceria de 8 anos entre os compositores Alexandre Revoredo e Rogério Diniz, e as relações estabelecidas nos últimos dois anos com Adiel Luna, o projeto é uma interseção entre os trabalhos autorais de cada artista. A saber, Adiel Luna é um dos maiores mestres da cultura popular do estado, tendo seu trabalho reconhecido em todo o pais, inclusive na preservação da memória da cultura nordestina, sobretudo a pernambucana. Rogério Diniz, grande compositor da cena contemporânea estadual, trabalha em sua temática a difícil vida do trabalhador rural, do sertão, além de "ovacionar" a linguagem do nosso canto através de suas músicas. Alexandre Revoredo, artista experiente já bastante conhecido na cena artística do estado, tem seu trabalho respeitado em todos os espaços em que se apresentou nesses dez anos de carreira, sobretudo pela poética em que vem trabalhando nos trabalhos que desenvolve na área da música e literatura. 

             A relação entre esses artistas se dá na qualidade estética de seus trabalhos individuais, além das parcerias entre canções, firmadas também nos vários shows em que se apresentaram juntos. O repertório proposto para o show, contempla também canções de Dominguinhos, artista esse que possui uma obra muito vasta, não sendo somente pautada num estilo musical específico. ARAL é um espetáculo musical pautado nas obras desses grandes artistas e sendo dessa forma, O Coletivo Tear, empresa proponente do projeto, pleiteou uma vaga no festival Viva Dominguinhos através do edital PÚBLICO, aberto para todos os artistas que tenham seu trabalho pautado no forró pé de serra bem como na cultura popular. Haja visto essas duas vertentes culturais para o festival, através de um projeto rico e bem elaborado, o ARAL foi pleiteado para uma das vagas.

             Equivocadamente na informação repassada pela prefeitura para a programação, constava o nome de Alexandre Revoredo, e não do projeto ARAL, isso causou certo desconforto por parte de outros artistas da cidade, pautados na idéia de que o trabalho do artista não se identifica com a proposta do festival viva Dominguinhos. As críticas acerca da contratação do mesmo para a grade de programação são infundadas já que o projeto proposto está em conformidade com as exigências do edital, pois traz sua base totalmente pautada nas tradições culturais do nosso estado e região, e que conseguiu o espaço para apresentar-se dentro do festival citado única e exclusivamente pelo seu mérito cultural, artístico, técnico profissional. Em tempo, ao perceber o erro cometido na divulgação do festival, com o nome de Alexandre Revoredo, o Coletivo Tear entrou em contato com os responsáveis pela divulgação informando sobre o equívoco, solicitando a alteração para o nome do projeto ARAL.

                       O que não foi realizado dentro de um prazo suficiente para não causar esse transtorno para o artista, que teve sua imagem fragilizada dentro desse processo, como é notório o artista sempre manteve uma relação sadia com outros profissionais da arte em toda a região, não sendo portanto, justo desferir críticas infundadas ao valor artístico do mesmo. O Coletivo Tear está a disposição para quaisquer esclarecimento acerca do projeto "ARAL - Alexandre Revoredo, Rogério Diniz e Adiel Luna." 

Garanhuns, 07 de Abril de 2015