quinta-feira, 11 de junho de 2015

CLEITON COLLINS CRITICA IDENTIDADE DE GÊNERO NO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO; “NÃO É PRECISO AMAR LÉSBICAS OU TRAVESTIS, MAS ELES TEM QUE SER RESPEITADOS, DIZ EDILSON SILVA

                Pastor, Deputado estadual pelo (PR), Cleiton Collins.
 
                 As estratégias incluídas no Plano Estadual de Educação que fazem referência à identidade de gênero voltaram a ser questionadas pelo deputado Pastor Cleiton Collins (PP), durante a Reunião Plenária desta quinta (11). Para o parlamentar, pontos do texto que está em tramitação na Assembleia Legislativa, relativos à orientação sexual e “colocados de forma sutil”, devem ser suprimidos do documento.

                 “Esses assuntos precisam ser tratados no contexto familiar, não pelos professores”, afirmou. Itens da norma, como a formação dos educadores sobre diversidade de gênero e ações de prevenção à evasão motivada por discriminação de orientação sexual, foram alvo das críticas do progressista.

           Os deputados evangélicos Joel da Harpa (PROS) e Botafogo (PDT) concordaram com as queixas do parlamentar. “Parece que existe uma política de bastidores, que quer impor às famílias temas desnecessários dentro da escola”, afirmou Joel da Harpa. 


              Já Edilson Silva (PSOL) defendeu a pertinência de promover a tolerância entre as crianças. “Não falamos de privilégio a determinado segmento, mas de uma população agredida no meio da rua. O tema tem que ser colocado nos bancos escolares: não é preciso amar lésbicas ou travestis, mas eles têm que ser respeitados”, opinou.