terça-feira, 21 de julho de 2015

OFICINAS CULTURAIS SÃO UMA MARCA DA PROGRAMAÇÃO DO FIG

               


                O que fica depois que a festa vai? Fica o que se aprendeu, seja nos shows, no contato com as pessoas, na descoberta de algo novo, etc. Mas para quem quiser aprender ainda mais, tem as Oficinas Culturais, uma marca do Festival, que o torna um evento muito além do entretenimento.

              A diversificada programação da 25ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns também conta com mais de 30 ações formativas, entre oficinas e seminários. As oficinas são realizadas no V Casarão dos Pontos de Cultura, localizado na rua Pedro Rocha, no bairro Heliópolis, ao lado do Corpo de Bombeiros. As oficinas, que iniciaram nesta segunda-feira (20), e são realizadas sempre a partir das 14h, abrangem diversas áreas culturais como música, dança, cultura popular, fotografia, entre outros segmentos. As aulas seguem até sexta-feira (24).

                   No Casarão dos Pontos de Cultura, que se consolida como espaço para troca de ideias, formação e debate, estão sendo realizados oficinas de fotografia: “Escrevendo com a Luz”; de cultura popular, intitulada “Boi, resgate e construção do Brinquedo da Cultura popular trazido pela Mãe África”; “Bacamarte: Histórias e Manifestações”, oficina de economia criativa “Eco Cidadãos: Plantado Sustentabilidade” e oficina de música “Afoxé”.

               Ingrid Vital, de 18 anos de idade, é uma das participantes da oficina de Afoxé. “Essa é uma grande oportunidade durante o Festival, e é uma forma também de espalhar essa cultura. Eu gosto muito de aprender coisas novas e quando vi as oficinas, quis logo escolher uma para me inscrever”, comentou a recifense.

            Além das oficinas e apresentações culturais, o Casarão está promovendo duas exposições: “Mestres da Memória – A tradição oral de Camaragibe” e “Carnaval em Foco – Imaginário Coletivo”.

Texto e fotos: Ruthe Santana