sexta-feira, 7 de agosto de 2015

CAMINHADA PELA PAZ EM CASA É REALIZADA EM GARANHUNS

                 


              Jovens estudantes e comunidade se reuniram para fortalecer a caminhada pela paz em casa. O evento foi formatado pela secretaria da mulher e contou com apoio de entidades e a comunidade. Faixas e cartazes de mulheres vitimadas pela violência se faziam notar em meio a multidão em um gesto de paz, mas também de justiça.

            A violência contra as mulheres(de gênero) é uma forma de discriminação e uma violação de direitos humanos. Causa sofrimentos infinitos e perdas em vidas humanas e, devido a ela, um grande número de mulheres em todo o mundo vive com sofrimento, marcas e medo. Prejudica as famílias – todas as gerações –, empobrece as comunidades e reforça outras formas de violência em todas as sociedades. 


           A violência contra as mulheres impede-as de alcançar a sua plena realização pessoal, entrava o crescimento econômico e compromete o desenvolvimento de uma sociedade vencedora. A amplitude e a dimensão da violência são um reflexo do grau e persistência da discriminação que as mulheres continuam a enfrentar mesmo com toda abertura e ensinamentos. Por conseguinte, só pode ser eliminada, se se tentar eliminar a discriminação, promover a igualdade e o empoderamento das mulheres e velar pelo pleno gozo dos seus direitos humanos fundamentais. No entanto, surgiram novas formas de violência como por exemplo, a violência usadas através de redes de relacionamentos e ondas sonora e, em alguns países, os avanços em direção à igualdade e a uma vida sem medo sofreram um retrocesso ou estão ameaçados. A prevalência contínua da violência contra as mulheres é a prova de que os Estados não conseguiram ainda combatê-la com a vontade e força política, a visibilidade e os recursos necessários.