sábado, 12 de dezembro de 2015

GARANHUNS PODE FICAR SEM O FESTIVAL DE JAZZ INDO O MESMO PARA GRAVATÁ OU BEZERROS?











             Garanhuns pode perder uma das principais atrações do seu calendário cultural e turístico. A nona edição do Garanhuns Jazz Festival está ameaçada. A Prefeitura de Garanhuns já havia confirmado o evento, que ocorre durante o Carnaval, mas até agora, a menos de dois meses de sua realização, nenhuma verba foi garantida para a contratação dos artistas - muitos deles já pré-agendados, alguns vindos do exterior.

                Em suas edições anteriores, passaram nomes consagrados da MPB, como Ivan Lins, Ed Motta, Azymuth e o argentino radicado no Rio de Janeiro Victor Biglione; roqueiros com trajetória internacional como Andreas Kisser e Kiko Loureiro; músicos de jazz como Billy Cobham e Bob Mintzer; e bluesmen como Mud Morganfield, Magic Slim, Jimmy Burns, Celso Blues Boy, Jefferson Gonçalves, entre outros. 

             Garanhuns já havia confirmado o festival, mas não garantiu recursos. Gravatá e Bezerros podem receber o festival

               O GJF ganhou projeção nacional na mídia. Ocupou a rede hoteleira e estimulou o comércio da cidade num período tradicionalmente de baixa procura, no qual os garanhuenses costumam passar o Carnaval no Recife ou em praias do litoral de Pernambuco e de Alagoas.

               Consolidado com um dos cinco mais importantes do País, merecia estar no calendário turístico de Pernambuco, assim como está o Festival de Jazz de Guaramiranga, no Ceará, e o de Rio das Ostras, no Rio de Janeiro. Se Garanhuns desistir de realizá-lo, depois de bancar o milionário Natal Luz, quem sabe as cidades de Gravatá ou Bezerros não possam receber o evento? Tomara que sim! Empresários das duas cidades têm demonstrado interesse em receber o festival, que prima por uma música de qualidade e de paladar acessível a todos.








Garanhuns Jazz Festival ameaçado de não ocorrer

A menos de dois meses de sua realização, nenhuma verba foi garantida