terça-feira, 21 de junho de 2016

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL INVESTIGA POSSÍVEIS IRREGULARIDADES EM CONTRATAÇÕES DO SÃO JOÃO DE CARUARU

         



         O Ministério Público Federal investiga possíveis irregularidades na contratação de artistas para o São João 2016 de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a assessoria do órgão, há diferença de preços nos shows contratados para os festejos juninos entre Campina Grande e Caruaru. Segundo o MPF, Wesley Safadão foi contratado por R$ 575 mil na Capital do Forró e por R$ 195 mil no município paraibano.

          A Prefeitura de Caruaru informou que vai se pronunciar por meio de nota oficial ainda nesta terça-feira (21). As assessorias de Elba Ramalho e Aviões do Forró também informaram que vão responder por meio de nota. Ao G1, a coordenação do São João de Campina Grande confirmou que foi negociado R$ 195 mil com Wesley Safadão. Entretanto, a empresa responsável pelos shows do Wesley Safadão informou em nota que o valor de R$ 195 mil "não condiz com a realidade" e que "não existe contrato firmado com Campina Grande".



            A assessoria da prefeitura de Campina Grande informou que foi realizado um planejamento com antecedência para negociar os preços dos cachês dos artistas. "Justamente por compreender que os valores de mercado tendem a aumentar quando a disputa pelo artista é mais acirrada nesta época. Foi feito um pré-contrato com Wesley há praticamente um ano", disse a assessoria. 

           Na investigação, a assessoria do MPF informa que "a partir de consulta ao Portal da Transparência, a Prefeitura de Caruaru pagaria valores bem mais altos pelos mesmos shows programados para o São João de Campina Grande". As diferenças de preços são apontadas nos shows de Wesley Safadão, Elba Ramalho e Aviões do Forró.



          O MPF detalhou que o cantor Wesley Safadão se apresentará nos dois municípios e o preço cobrado em Caruaru foi de R$ 575 mil e de R$ 195 mil em Campina Grande. A banda Aviões do Forró cobrou R$ 250 mil no município pernambucano e R$ 195 mil na cidade paraibana; já Elba Ramalho, o preço do show em Caruaru custou R$ 190 mil e em Campina Grande R$ 160 mil, conforme o Ministério Público.

            Foi instaurada uma notícia de fato pelo Ministério Público Federal nesta terça-feira (21) e o órgão solicitou ao prefeito de Caruaru, José Queiroz, e à Fundação de Cultura do município explicações sobre a diferença dos cachês. A prefeitura deverá informar se já houve pagamento, a forma como foi feita a contratação e quais as fontes de recursos.
do Portal G1 noticias