quinta-feira, 30 de março de 2017

BRASIL SEDIARÁ PROGRAMA IBERBIBLIOTECAS



           O Brasil foi escolhido para sediar o estágio do Programa Iberbibliotecas, previsto para novembro, em São Paulo. Durante uma semana, 27 bibliotecários selecionados pelos países e cidades membros do programa farão visitas, contatos e intercâmbios com instituições do setor. Eles tratarão, durante os estudos e debates, dos seguintes temas: biblioteca para todos; biblioteca inclusiva e acessível; atendimento a diferentes públicos em situação de exclusão; e acessibilidade e desenho universal na área do livro, leitura e bibliotecas.

              Podem ser inscrever bibliotecários de bibliotecas públicas e comunitárias dos países e cidades integrantes do Iberbibliotecas – Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Espanha, México, Paraguai, Buenos Aires (Argentina) e Medellín (Colômbia). O processo de postulação ao estágio é público e as inscrições devem ser enviadas diretamente pelos postulantes ao e-mail da Unidade Técnica do Iberbibliotecas: iberbibliotecas@cerlalc.org, que as redistribuirá para os países correspondentes dos inscritos. A pré-seleção será feita nesses países e a seleção definitiva será realizada pelo Comitê Intergovernamental do Programa Iberbibliotecas.

          A proposta de estágio é a de proporcionar visitas, contatos e intercâmbios com instituições voltadas à temática do livro e leitura (bibliotecas públicas, comunitárias e escolares, centro culturais, organizações da cadeia produtiva do livro, núcleos de estudos e pesquisas etc.), além de organizações do campo da cultura e artistas com propostas inovadoras no campo da acessibilidade e inclusão de grupos historicamente marginalizados (pessoas com deficiência, grupos da periferia da cidade, população de rua e pessoas idosas, entre outros).

           Entre os objetivos do estágio estão também a contribuição para o fortalecimento das políticas, programas e projetos relativos ao livro e à leitura, introduzindo a questão da acessibilidade e inclusão de forma articulada e transversal, além de consolidar parcerias entre bibliotecas e outros equipamentos culturais e educacionais, como museus, centros culturais, escolas e teatros.

Escolha do Brasil

         Neste ano, cinco propostas concorreram como sede do estágio, sendo uma do Brasil, uma de Medellín e três da Espanha. Os integrantes do Programa ranquearam os postulantes por ordem de prioridade e a proposta brasileira foi a que recebeu mais votos como primeira opção.

“A vitória do Brasil para sediar este estágio é triplamente importante: primeiro, por reconhecer o trabalho da atual gestão do Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLB), que apresentou uma proposta robusta e de qualidade, focando uma temática relevante, atual e desafiadora para todas as bibliotecas do mundo: a acessibilidade e a inclusão compreendidas de forma ampla”, afirma o diretor do DLLLB, Cristian Brayner. “Segundo, por abrir espaço para que os bibliotecários e agentes de leitura do País apresentem as boas práticas das bibliotecas e centros de leitura e, terceiro, por possibilitar que estes mesmos atores conheçam as diversas ações desenvolvidas pelos países latino-americanos”, avalia.

         A participação dos estagiários será custeada pelo próprio Iberbibliotecas (investimento de US$ 58.120) e está limitada a três participantes por país ou cidade integrante do Programa. A coordenação do estágio ficará a cargo da Mais Diferenças, organização da sociedade civil de interesse público (Oscip) que já realiza outras parcerias com o MinC, como o Projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, junto com o DLLLB.

O Programa

         O programa Iberbibliotecas é uma realização do Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e no Caribe (Cerlalc), órgão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) responsável pelo fomento ao livro e à leitura na América Latina, no Caribe, em Portugal e na Espanha.

       Esta é a segunda edição do Estágio/Pasantía. A primeira foi realizada no ano passado em Medellín, na Colômbia.


Camila Campanerut
Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura