sexta-feira, 10 de março de 2017

DIA DE GARANHUNS: UM DIA PARA FICAR NA HISTÓRIA







Um dia para ficar literalmente na história. É com esse sentimento que a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) faz um balanço de sua participação nas comemorações alusivas ao Dia de Garanhuns. Durante toda esta quinta-feira (09), os seis Centros de Referência de Assistência Social (Cras’s) promoveram atividades de integração para manter viva a história do município, que completa 206 anos amanhã (10).

No Cras Bela Vista, o aniversário de Garanhuns foi trabalhado durante toda a semana. Os grupos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) iniciaram as atividades com a reprodução, em papel, da bandeira do município; ontem (08), a representatividade de suas cores foi tema de discussão. Hoje, todos puderam finalizar as artes e assistir vídeos que contam, em detalhes, a extensa história de Garanhuns.

Preservando a cultura e sua influência na formação de um povo, o Cras Heliópolis reservou a quinta-feira para apresentações musicais. O Grupo de Violões e o Reisado Unidos com Alegria – ambos com criação no próprio Centro – entoaram canções que marcam décadas na “Suíça Pernambucana”. O mestre Gonzaga de Garanhuns conduziu parte do momento e aproveitou a oportunidade para repassar seus conhecimentos para os mais jovens.

Quem visitou o Cras Boa Vista pôde ver que a alegria predominou. Na área aberta do Centro, uma verdadeira festa. Simbolizando o patriotismo por Garanhuns, crianças, adultos e idosos cantaram o hino de Garanhuns e apresentaram danças – incluindo um Pastoril – com letras que remetem às peculiaridades naturais da cidade.

Duas comunidades quilombolas de Garanhuns contaram com atividades nesta quinta-feira. O Cras Quilombo executou uma oficina de produção de pontos turísticos com material reciclável na comunidade quilombola Caluête. Já no próprio Castainho, a bandeira foi reproduzida pelos moradores, que também estudaram a letra do hino do município.

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Maria Célia Sobral, percorreu alguns Cras’s, durante todo o dia, para conferir de perto as ações. “É gratificante ver que os pequenos já começam a conhecer um pouco de nossa história, e os mais experientes repassam seus conhecimentos para eles. É tudo uma troca, servindo como integração para diversas gerações. Ver o resultado dos trabalhos feito à mão e a empolgação de cada um deles gratifica o esforço de nossas equipes de Assistência Social”, enfatiza a titular da pasta.


À tarde, a programação se concentrou nos Cras’s Magano e Várzea. No Magano, a ação contou com exposição de obras em material reciclável, incluindo réplicas de pontos turísticos de Garanhuns; explanação sobre sua história e apresentação teatral com expressão corporal. Já na Várzea, crianças produziram, tanto pela manhã como à tarde, maquetes e cartazes dos atrativos.