quinta-feira, 22 de junho de 2017

PADRE FRANCISCO GABRIEL É NOMEADO BISPO NO PIAUÍ




           Nomeado esta semana Bispo da Diocese de Campo Maior, no Piauí, o padre Francisco de Assis Gabriel dos Santos (foto), pároco da Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Garanhuns, deixará o Estado, mas levará com ele o título de cidadão pernambucano.

           De autoria do deputado estadual Álvaro Porto (PSD), o projeto lei que propõe a homenagem, foi aprovado nesta terça-feira, 20 de junho, na Assembleia Legislativa. A cerimônia de entrega do título, acontecerá no dia 1º de agosto, no plenário da Casa Joaquim Nabuco, na capital pernambucana.   

          Paraibano do município de Esperança, Padre Francisco reside em Pernambuco desde 2000, onde desenvolveu um bem sucedido trabalho humanista. Além de pastorear no Agreste Meridional, vale destacar, ao longo destes 17 anos no Estado, o religioso também atuou no Recife.

           A chegada a Pernambuco se deu logo após a ordenação. E Garanhuns foi o destino inicial. Entre 2000 e 2003, o sacerdote desenvolveu atividades pastorais no bairro de Heliópolis. Nesse tempo, em reconhecimento aos serviços prestados à comunidade, recebeu o Título de Cidadão Garanhuense.
.

            A transferência para o Recife aconteceu em janeiro de 2003. E, na capital, ele permaneceu por oito anos, tendo passagens marcantes pelos bairros da Madalena, Torre, Santa Luzia e Ibura. Neste último se empenhou na criação do Centro de Pastoral da Cidadania, em parceria com outros religiosos e a Universidade Católica de Pernambuco.

           De volta a Garanhuns em 2011, Padre Francisco assumiu a Paróquia da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, umas das mais representativas da Diocese do município, com abrangência em 13 comunidades, especialmente na periferia.

           Por onde passou, o sacerdote paraibano manteve como marca registrada do seu trabalho o estímulo à construção da consciência cidadã dos seus paroquianos, a partir de ensinamentos fundamentados na política, nos direitos sociais e, principalmente, na formação humana e religiosa.

"Ao longo de toda sua carreira sacerdotal, ele se envolveu e se dedicou à cultura, história e vida sócio-política de Pernambuco. Portanto, a homenagem proposta por meio título de cidadão pernambucano se configura num reconhecimento à efetiva contribuição do sacerdote ao Estado", diz Álvaro Porto.

O Padre Francisco assume o bispado no Piauí no final do mês de agosto.