segunda-feira, 21 de julho de 2014

CANTOR RECIFENSE TIBÉRIO AZUL LOTA PALCO POP



Nascido e criado no Recife, Tibério Azul desenvolveu arte desde cedo. Ainda criança ganhou concursos de poesia no colégio e não cansava de inventar histórias, palavreados infantis. Com a idade adquiriu paciência e direcionou os anseios poéticos para a música. Montou projetos musicais, bandas, lançou discos, DVD, blog e partiu pelo Brasil realizando shows, formando público, admiradores e amigos. Fundou a banda lítero-musical, Mula Manca e a Fabulosa Figura, com quem lançou dois discos e o projeto de auto suficiência artística “Banda seu Chico”, ainda em atividade, com quem lançou DVD e CD ao vivo. No final de 2011 nasceu o primeiro disco solo “Bandarra, ou caminho que vai dar no sol”. A estreia teve rápida e larga aceitação de crítica e público, Incluindo Azul no grupo de promessas da música brasileira.

Penúltima e mais esperada atração do palco pop deste sábado, 19 de julho, o cantor Tibério Azul deixou seu recado aqueles que prestigiaram seu show. O mesmo palco a partir das 00h passa então a funcionar como o palco do forró, seguindo sempre madrugada adentro. Ainda no sábado, se apresentaram por lá, Romero Ferro, Aninha Martins e o Filipe Catto. Em entrevista ao blog do Gidi Santos, Tibério fala sobre seu público, sobre a essência do FIG e sobre suas influências musicais, confira:



BLOG DO GIDI SANTOS:
4ª VEZ NO FIG, TRADUZA O SHOW DE HOJE ?
TIBÉRIO AZUL:
- Foi emocionante, estou me sentindo em casa, essa é a 4ª vez que toco em Garanhuns, tanto com o meu projeto quanto com outros e cada vez que venho me surpreendo. Tenho um carinho maior e todo especial com público local, é como se eu estivesse “arrumando a sala da minha casa”, eu fico muito feliz com isso.
BLOG DO GIDI SANTOS:
QUAIS SÃO SUAS INFLUÊNCIAS MUSICAIS ?
TIBÉRIO AZUL:
Tento não ser influenciado somente por um viés, às vezes músicos se influenciam somente por outros músicos. Eu tento abrir muito o meu leque, eu tenho uma diversidade de pessoas que me influenciam; desde poetas como Rilke, Manoel de Barros, Fernando Pessoa, até artistas com The Doors, Pink Floyd, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Alceu Valença, Cordel do Fogo Encantado, além de filosofias, oriental, cristã etc. Eu gosto muito de testar as coisas de uma forma mais ampla para que a arte possa surgir de uma maneira que venha em gotas e se transforme em oceano.

BLOG DO GIDI SANTOS:
O QUE VOCÊ ACHA DA ESSÊNCIA CULTURAL DO FIG ?
TIBÉRIO AZUL:
         -O Festival de inverno de Garanhuns, desde que me entendo por gente, preza pela essência artística, ele não busca apenas público e um sucesso fácil, ele busca algo que toque e sensibilize as pessoas. As vezes que estive aqui enquanto público sempre fui tocado e enquanto artista também sou tocado. Isso me alegra muito e mesmo que mudem os partidos, mesmo que o poder mude de mãos as pessoas já entenderam que essa é a grande essência do FIG, ele se mantém poético, isso é gratificante. Quando não estou tocando eu estou do outro lado curtindo shows maravilhosos, vendo oficinas, tomando chocolate quente que o recifense adora, ou seja, participando ativamente desse mega evento.


AO FINAL TIBÉRIO AZUL DEIXOU UMA MENSAGEM
PARA OS LEITORES DO BLOG:

 O espaço-tempo está deixando de existir em meio aos encurtamentos a que estamos condicionados, um desses é a internet. Assim sendo, sintam-se abraçados por mim e pelo meu trabalho.