sábado, 30 de junho de 2018

INCÊNDIO NO PARQUE DO POVO EM CAMPINA GRANDE SUSPENDE SHOWS DO MAIOR SÂO JOÃO DO MUNDO.




O São João 2018 de Campina Grande teve os shows deste sábado (30) cancelados após um incêndio em uma palhoça no Parque do Povo. O espaço foi evacuado pelo Corpo de Bombeiros, que tenta controlar as chamas próximo à Pirâmide. A saída de emergência foi aberta e houve correria no local.

O que foi cancelado?

Por segurança, o Parque do Povo foi totalmente evacuado e, até segunda ordem dos Bombeiros, os shows de Avine Vinny, Amazan, Forró da Barka e Rapha Mello estão cancelados na arena de shows da festa.
Segundo a Polícia Militar, todos os shows da festa, que iria até o dia 8 de julho, estão suspensos até um parecer dos Bombeiros. O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, no entanto, afirmou que neste domingo (1º) provavelmente o show de Gusttavo Lima vai acontecer.

Qual a origem do incêndio?

O Corpo de Bombeiros disse que ainda não é possível saber o que causou o incêndio, que atingiu a parte elétrica do Parque do Povo.

Houve feridos?

Uma pessoa ficou ferida no local. A vítima, que foi por conta própria para o hospital, estava próxima ao local onde teria iniciado o incêndio e permance na ala cirúrgica do Hospital de Trauma de Campina Grande. O estado de saúde dela ainda não foi divulgado.



Quais as áreas atingidas?

De acordo com o capitão Jonathan Yazaki, 24 barracas foram danificadas e os ambulantes tiraram as mercadorias do local.

A festa conhecida como 'O Maior São João do Mundo' tem capacidade para 77 mil pessoas, segundo os Bombeiros. Na noite desta sexta-feira (29), a Polícia Militar informou que o local teve recorde de público com o show de Wesley Safadão no palco principal da arena de shows da festa.

https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/parque-do-povo-e-evacuado-apos-incendio-no-sao-joao-2018-de-campina-grande.ghtml

BISPO DE GARANHUNS SE POSICIONA CONTRÁRIO A APRESENTAÇÃO DE POLÊMICA PEÇA TEATRAL: “Se for, Senhor Governador, o Senhor está ferindo profundamente a nossa Gente”




               O Bispo Diocesano de Garanhuns, Dom Paulo Jackson, divulgou, na manhã de hoje, dia 30, nota sobre a polêmica gerada diante da apresentação do monólogo ‘O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu’, protagonizado pela atriz Renata Carvalho, e que estaria previsto para acontecer nos próximos dias 26 e 27 de julho, aqui em Garanhuns, dentro da programação do 28º Festival de Inverno de Garanhuns. Confira:.







Eis a íntegra da nota da Diocese:

Nesses dois últimos dias, a cidade de Garanhuns foi tomada por -ulna discussão em tomo de uma peça teatral que está na programação do Festival de Inverno de Garanhuns — 2018. Trata-se da peça "O Evangelho segundo Jesus, rainha dos céus" (IIE GOSFI according to Jesus, queen of heaven): escrita pela atriz transexual escocesa Jo ClifTord; dirigida, no Brasil, por Natália Mallo; e encenada pela atriz transexual Renata Carvalho.

Estão em jogo dois grandes valores presentes na Constituição Federal da República do Brasil: l) a liberdade de expressão intelectual, artística, científica e de comunicação, conteúdo do Art. 50, IX; 2) e a inviolabilidade da fé e da crença, estabelecida no mesmo artigo quinto, inciso VI, e ratificada no Código Penal Art. 208, quando trata dos crimes contra o sentimento e contra o desrespeito aos mortos. O Art. 208, do Código Penal, normatiza claramente o crime de vilipêndio público às religiões e especificamente contra um ato religioso. Isso acontece, na peça- em relação à imagem de Jesus Cristo e à Eucaristia. Compreendemos que a liberdade de expressão artística não pde ferir o sentimento religioso e a identidade cristã de uma inteira população.

3. O título da peça apresenta dois evidentes equívocos, que nem a liberdade artística  permiti: 1C) o Evangelho nunca é "segundo" Jesus, pois Jesus mesmo é o Evangelho e o mensageiro dessa boa e esperançosa noticia a humanidade; 2º) apresentar Jesus como rainha dos céus - Ora, Jesus era homem. Em nenhuma fonte bíblica ou historiográfica jamais se ousou apresentá-lo como mulher, e muito menos como transexual. Não seria razoável, por exemplo- apresentar a rainha Cleópatra como homem, vivendo um caso homossexual com Júlio César ou Marco Antônio- A pergunta que se deve fazer é: até onde a arte tem a liberdade para ressignificar papéis? Escrever palavrões em hóstias é arte? Está ressigaificando alguma coisa? Um homem nu que rala uma imagem de Nossa Senhora Aparecida com um ralo de cozinha e recolhe os fragmentos numa gamela, isso é arte? O que estaria ressignificando? O que seria razoável para a arte na tarefa da ressignificação e, ao mesmo tempo, no respeiito às pessoas e às suas sensibilidades?

4- Creio tanto o Governo do Estado de Pernambuco por meio da Secretaria de Cultura e da Fundarpe, quanto o Governo Municipal de Garanhuns perdem a oportunidade de impostar a discussão sobre outra perspectiva- O nosso país é o que mais mata homossexuais, travestis e transexuais no mundo. Ao mesmo tempo, é o país que mais consome sexo e pornografia- O Município de Garanhuns está entre os campeões no quesito "violência contra a mulher". A nossa terra é uma terra que covardemente mata mulheres. O que o Governo Estadual e o Governo Municipal podem fazer pra amenizar e, em médio e longo prazos, resolver essa triste situação?   Trazer peça teatral que fere a sensibilidade das pessoas simples da nossa terra? É isso que vocês podem fazer? É respeitoso para com a Cidade de Garanhuns o discurso do Secretário de Cultura? Isso constrói uma cultura de paz e diálogo? E respeitoso o modo como a Fundarpe trata a preparação do Festival de Inverno e o diálogo com as instituições parceiras, inclusive com a Diocese de Garanhuns por meio da Paróquia da Catedral, onde o Palco de Música Clássica Instrumental?

5. Lamentamos também profundamente que essa discussão possa ser utilizada para fins eleitoreiros. Já basta! O conflito entre o Governo Estadual e o Governo Municipal de Garanhuns, e vice-versa, só vem diminuindo a nossa terra, só tem nos prejudicado, só tem inviabilizado investimentos e a resolução dos graves problemas do nosso povo que tanto sofre. É hora de serem estadistas! Olhem para o nosso povo sofrido, humilhado, vivendo uma das piores crises sociais, econômicas e éticas de todas as épocas. Não olhem para as situações com os mesquinhos de uma sigla partidária e de uma campanha eleitoral. E vou até adiante: é a hora de pensar Garanhuns. E razoável, por exemplo, que uma cidade de 140 mil habitantes não tenha um Deputado Estadual e um Deputado Federal? É hora de pensar o Município de Garanhuns e as redondezas. Paramos no tempo- Temos perdido oportunidades.

6. Por tudo isso, não concordamos de nenhum modo que a peça seja apresentada em Garanhuns no Festival de Inverno. Não é disso que necessitamos. Ao mesmo tempo, já afirmo: não entraremos em nenhuma frente para impedir que a peça seja apresentada. Se for, Senhor Governador, o senhor está ferindo profundamente a nossa gente.  Duas únicas coisas, eu posso fazer como bispo da Diocese de Garanhuns: conclamar o povo católico a não tomar parte nesse acinte e proibir que a Igreja Catedral seja utilizada como um dos palcos do Festival de Inverno 2018.

7.     Que o Espirito Santo de Deus nos ilumine para encontrarmos dialogadas e que gerem verdadeiramente uma cultura de paz.

Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa
Bispo da Diocese de Garanhuns

GOVERNADOR DECIDE CANCELAR APRESENTAÇÃO TEATRAL AQUI EM GARANHUNS,



CONFIRA A NOTA DO GOVERNO DE PERNAMBUCO:

              "O Governo do Estado de Pernambuco, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundarpe, decidiu cancelar a apresentação "O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu" da Mostra de Teatro Alternativa do Festival de Inverno de Garanhuns de 2018, diante da polêmica causada pela atração e da possibilidade de prejuízos das parcerias estratégicas e nobres que o viabilizam. O Festival de Inverno de Garanhuns foi criado para unir e divulgar nossas expressões culturais e não para dividir e estimular a cultura do ódio e do preconceito. O Governo de Pernambuco também repudia todas tentativas de exploração eleitoreira feitas do episódio."


Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Funcionários da Funase em Garanhuns são investigados pelo uso de sprays de pimenta






Um procedimento administrativo foi instaurado para investigar um agente e uma assistente socioeducativos suspeitos de usar sprays de pimenta em adolescentes internos da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco.

O uso de sprays de pimenta é proibido nas unidades de internação de adolescentes, mesmo assim ainda estaria sendo adotado em alguns locais. No ano passado, o Ministério Público chegou a solicitar a interdição da Funase em Caruaru, também no Agreste, por denúncias de tortura – com uso de sprays e sufocamento com sacos plásticos.


Na portaria publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (29), a diretora presidente da Funase, Nadja Alencar, afirma que o procedimento administrativo visa “apurar as condutas e possíveis responsabilidades no suposto uso de spray de pimenta nos alojamentos do pavilhão IV” da unidade de Garanhuns.

Se comprovadas as irregularidades, os funcionários podem ser punidos inclusive com a demissão.

Com informações do Ronda JC

POLÊMICA NO FIG:Em nota, Câmara Municipal de Garanhuns diz acreditar na liberdade de crenças e pensamentos, mas afirma que peça que mostra um Jesus Trans é falta de respeito à religiosidade




A Câmara Municipal de Garanhuns, legítima representante da Sociedade Garanhuense, em face das últimas notícias veiculas de apresentação de uma peça teatral intitulada “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, nos seguintes termos:

1- A liberdade de crenças, pensamentos e opiniões defendidas na Constituição Federal de 1988, são um dos arcabouços mais importantes do Estado Democrático de Direito, e que devem a todo o custo ser respeitada pelo Poder Público.

Contudo, em respeito à diversidade religiosa e do próprio estado laico, o qual respeita às liberdades de crenças e religião, se faz necessário que as entidades culturais respeitem o exercício da religiosidade por parte da população, pois diversos embates nascem justamente da satirização das crenças.

As atividades culturais, embora tenham a sua liberdade garantida devem respeito aos temas religiosos, de modo que, a falta de respeito à religiosidade não se mostra neste momento como oportuno ou enriquecedora culturalmente aos munícipes. Solicitamos ao Gestor do FIG, uma maior abertura popular, seja escutando os órgãos, entidades e sociedade municipais, na formatação do Festival de Inverno de Garanhuns, pois como legítimos representantes popular é uma obrigação do Gestor respeitar os desejos da população.

Da assessoria de imprensa da Câmara Municipal

CARTA DE APOIO À APRESENTAÇÃO DO ESPETÁCULO "O EVANGELHO SEGUNDO JESUS RAINHA DO CÉU" NOTA DE REPÚDIO E PETIÇÕES CIRCULAM PELA INTERNET AUMENTANDO A POLÊMICA,


     


           Na manhã de hoje (29/6), em entrevista a uma rádio local, o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, afirmou que não vai ceder o Centro Cultural da cidade para a apresentação do espetáculo O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu (onde Jesus é interpretada pela atriz travesti Renata Carvalho) inserido na programação oficial do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). Alegando que Garanhuns é uma cidade cristã, pediu o apoio das igrejas para impedir a exibição da peça.

       Primeiramente, é necessário dizer que cidade nenhuma do nosso país tem religião oficial. O Brasil, na totalidade do seu território, é laico – o que significa dizer que as pessoas, ainda bem, têm liberdade para terem a religião que quiserem (inclusive a cristã, ou nenhuma).

Segundo e talvez mais importante: para quem assistiu a peça, como eu (ela veio para o Recife no começo deste mês, inserida na programação do TREMA Plataforma de Teatro, com exibição no teatro Apolo lotada) fica evidente que o sentido do espetáculo não é diminuir, ofender ou atacar a fé de quem quer que seja - Renata é travesti e, por isso, logicamente ela jamais enxergaria que interpretar alguém, com seu corpo, representaria demérito.

Quem entende uma Jesus travesti como ofensa, atesta seu próprio preconceito de achar que existe algo de superior na sua existência diante das outras. (Travesti é vida, potência, não xingamento, só pra lembrar  :*). Como é bom nomear as coisas, isso se chama transfobia.

Que pena. até porque não há nada menos cristão do que não amar o próximo como a si mesmo.

O avanço do conservadorismo é assustador e tem servido bem aos gestores para que, de maneira demagógica, desvirtuem o debate político. Como todas sabem, ou deveriam saber, o mal do país, não são os artistas e suas peças, por mais insubordinadas que sejam. O mal do país é a desigualdade, o racismo, o machismo, a homofobia e, obviamente, a transfobia, que faz do Brasil, o país que mais mata pessoas trans no mundo. O mal do país são gestores oportunistas que tentam fazer de situações como essa, trampolins para angariar votos e fieis.

       Ao contrário de atentar contra a fé, Renata vem nos lembrar, de maneira crítica e poética, como é próprio do teatro, de que, se tem algum corpo que é injustamente perseguido e crucificado nos dias atuais, esse é o corpo trans. Eis o brilhantismo da peça em sua analogia absolutamente pertinente. E a própria censura atesta a perseguição. Vale lembrar que, até pouco tempo, as interpretações de Cristos não europeizadas eram polêmicas, e pasmem, Jesus veio num corpo negro.

        Em nome da Igreja muitas vidas foram perseguidas, assassinadas (lembram das fogueiras?). Em nome da religião muitos já se perpetuaram no poder – desde os reis absolutistas e seu direito divino de governar, até os fundamentalistas espalhados do oriente ao ocidente de hoje. E é essa mesma falsa fé que vem transformando o nosso parlamento (e algumas prefeituras) em um antro de conservadorismo que se auto-alimenta no poder às custas da diminuição de qualquer forma de vida contra-hegemônica que ameace a perpetuação de seus privilégios.

        É com esse suposto amor cristão que integrantes de religiões expulsam seus filhos e filhas de casa, violentam e matam. Como bem disse Renata Carvalho, atriz que encena o monólogo, em entrevista publicada recentemente na Revista Continente: "Os que querem me matar, estão em nome de Deus”.

          Mas, vai passar. Se eu tenho fé (e força), é de que isso vai passar. E nós (eu, você, Renata), vamos lembrar da importância desse espetáculo que escancara que, sim, se Jesus viesse ao mundo hoje, ele viria num corpo travesti. E ficaria do lado delas e de todos os corpos invisibilizados e periféricos - bichas, pretas, índias e putas, de novo.

          E mais. Se Jesus voltasse, Cristo ou não, ela voltaria a ser perseguida, torturada, crucificada. E censurada.

        Já está circulando nas redes um abaixo-assinado, cujo link, colo abaixo Assinem e compartilhem.

         O Festival de Inverno de Garanhuns é uma festa linda, laica e libertária e assim precisa continuar sendo. A peça, necessária, deve ser encenada, sim. E digo mais: tem que ser no Centro Cultural da cidade. Não dá pra tolerar transfobia institucionalizada. A encenação em outro espaço representa concessão ao preconceito e, contra ele, não podemos dar nenhum passo atrás.

Evoé!


STF DECIDE QUE GUARDAS MUNICIPAIS PODEM PORTAR ARMA DE FOGO




O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes decidiu nesta sexta-feira, dia 29, que integrantes de todas as Guardas Municipais do País podem portar armas de fogo durante o horário de trabalho e de folga.

Para o Ministro, as Guardas Municipais exercem “imprescindível missão” nos serviços de segurança pública, juntamente com as policiais civis e militares. “O tratamento exigível, adequado e não excessivo corresponde a conceder idêntica possibilidade de porte de arma a todos os integrantes das Guardas Civis, em face da efetiva participação na segurança pública e na existência de similitude nos índices de mortes violentas nos diversos municípios, independentemente de sua população”, decidiu o Ministro Alexandre de Moraes.

Por meio de uma liminar concedida a pedido do Democratas, o Ministro suspendeu dois artigos do Estatuto do Desarmamento, aprovado em 2003, que limitava o porte de armas para uso no trabalho e horas de folga pelos Guardas. Ao recorrer ao Supremo, os Advogados do Democratas alegaram que a Norma criou uma restrição ilegal ao porte de arma entre uma mesma categoria de integrantes da segurança pública. (Com informações do JC Online.) 

SECRETÁRIO DE CULTURA DO ESTADO CENSURA IZAÍAS REGIS " DECISÃO DELE VAI CONTRA A CONSTITUIÇÃO"





               Depois que o Prefeito Izaías Régis veio a público na manhã desta sexta-feira (29), para declarar que não abrirá as portas do centro cultural Alfredo Leite Cavalcanti para apresentação do monólogo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que protagoniza uma releitura da vida de Jesus Cristo vivendo nos dias atuais como uma travesti, coube, ao  Secretário de Cultura do Estado, Marcelino Granja, se posicionar nos microfones da Rádio Jornal Garanhuns sobre a postura adotada pelo chefe do executivo local.

Na oportunidade, Marcelino afirmou que a decisão do Prefeito vai contra a Constituição brasileira, que preza pela liberdade de expressão artística e de pensamento. "Não é nosso papel vetar a peça. Ela fala para o público adulto e será apresentada. Não vejo razão para essa polêmica. Se a prefeitura não permitir que ela seja apresentada nesse espaço, será realizada em outro lugar, provavelmente", afirmou o secretário.

Na mesma entrevista, Marcelino acrescentou que O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu é uma obra como outra qualquer e que não vai contra o cristianismo. "Pelo que li sobre, a peça fala sobre tolerância, amor ao próximo e compaixão, mas pelo fato de ela ser representada por uma pessoa transexual, gera incômodo. O cidadão que não gosta de determinada obra, não assista", destacou Granja em sua fala.

Vale dizer, embora o monólogo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, provoque reações polêmicas, segundo sua sinopse, ele propõe uma reflexão sobre a tolerância e o respeito às diferenças a partir da seguinte questão: "E se Jesus voltasse à terra como uma travesti?". Segundo sua produção, a obra prega o amor e a tolerância e busca dar visibilidade às vivências trans, quebrando estigmas e lutando contra o ódio que faz do Brasil o país que mais mata LGBTs no mundo.

PREFEITO DE GARANHUNS ATENDE POPULAÇÃO E DIZ NÃO À LIBERAÇÃO DE CENTRO CULTURAL PARA PEÇA QUE RETRATA JESUS COMO TRANSEXUAL



A polêmica e as discussões em torno da peça "O evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu", chega  a Garanhuns através da grade de programação do 28º FIG,  onde  está previsto para ser apresentado no dia 26 de julho. A controvérsia é que a peça é uma releitura de Jesus vivendo nos dias atuais como uma travesti, interpretada pela atriz Renata Carvalho. A proposta tem causado revolta de grupos religiosos. Em cidades como Jundiaí e Salvador o espetáculo foi alvo de ações na Justiça pedindo o seu cancelamento. No Rio, o prefeito Marcelo Crivella usou as redes sociais para criticar duramente "O evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu".

Nesta terça-feira, 29/06, em entrevista a uma rádio, o prefeito Izaías Régis afirmou que não vai ceder o Centro Cultural para a apresentação do espetáculo. Ele disse que ligou para o Secretário de Cultura de Pernambuco, Marcelino Granja, para informar sobre o veto do Centro Cultural. "Não tenho nada contra os transexuais, mas somos uma cidade cristã. É uma coisa que atinge o Cristianismo. Quero o apoio da sociedade e das igrejas para que possamos impedir a peça. A maioria do povo não quer a peça então vamos trabalhar para que ela não aconteça no Centro Cultural", disse Régis. 

      Através de seu blog de notícias, o Governo do Estado, ao fazer o             anúncio da programação teatral do Fig 2018, defendeu a exibição como uma forma de fortalecer a luta contra a intolerância e a discriminação. "A programação de teatro figura entre os destaques desta proposta curatorial. Vinte e quatro premiados espetáculos da atualidade brasileira, de grupos de prestígio internacional, estão confirmados. O combate à intolerância e à discriminação vai ganhar força com a apresentação das obras selecionadas. Entre elas, O Evangelho segundo Jesus, a Rainha do Céu, alvo de protestos pelo País e que chegou a ter sessões canceladas por decisão judicial, evidenciando o preconceito contra as pessoas transexuais", diz parte do texto publicado no blog do Governo de PE. 

            Nas redes sociais, a grande maioria de internautas se posiciona contra a exibição da peça  em Garanhuns. Segundo Izaías, o secretário de Cultura, Marcelino Granja, afirmou que a tentativa de proibição do espetáculo é coisa de moralista e que se a Justiça for acionada, uma possível liminar censurando a peça seria cassada.

                Registramos, também, que a população de |Garanhuns é cristã e respeita os princípios cristãos, não aceitando, mas de maneira alguma, imposições.

                 A jornalista Walderia Santana traz um depoimento de pessoas da fundarpe, em um determinado café desta cidade, a criticar os moradores os chamando de Ignorantes, racistas, entre outros adjetivos que podem ter espaço social por conta da liberdade que vivenciaremos. 

                Por outro lado, representantes de instituições dizem que não aceitam a peça, também, nas ruas. Ela, a população mostrará sua força.



           
  


quinta-feira, 28 de junho de 2018

#SOMOSTODOSGARANHUNS! HOMENAGEM AOS ARTISTAS GARANHUENSES QUE ESTARÃO NOS PALCOS DO FIG 28ª EDIÇÃO


Pablo Moreno


Carlinha Marques



Nando Azevedo



Mateus Cordeiro


Amanda Back



Cafuringa



Still Living



Romero Ferro



Andrea Amorim



Celino Melo


PEÇA QUE RETRATA JESUS COMO TRANSEXUAL SERÁ APRESENTADA EM GARANHUNS DURANTE O FIG




       Cercada de grandes polêmicas e alvo de protestos por onde passa, a peça O evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu será apresentada em Garanhuns na 28ª edição do FIG. O espetáculo polêmico registra um vendaval de duras críticas oriundas de grupos, principalmente religiosos por onde passa. Em muitas cidades, ações judiciais tentam cancelar a peça, mas em muitas delas a liminar é cassada e a apresentação ocorre com casa cheia e grande recepção do público.

             O monólogo, originalmente escrito pela dramaturga transexual escocesa Jo Clifford e traduzida, montada e dirigida pela argentina radicada em São Paulo Natalia Mallo, tem como protagonista uma releitura de Jesus vivendo nos dias atuais como uma travesti, interpretada pela atriz Renata Carvalho. A proposta causa a revolta de alguns grupos religiosos.

A peça

           Sozinha no palco, a atriz aparece de salto, vestido e blazer e logo se apresenta: "Vocês não imaginavam me encontrar aqui, vocês imaginavam me encontrar na igreja, mas na igreja não posso entrar". E então começa o monólogo, baseado na reinterpretação da história bíblica. O texto faz releituras de algumas parábolas, como a do Filho Pródigo e das Bodas de Caná, mas colocando uma protagonista feminina no lugar do homem e contadas em primeira pessoa pela personagem.

          Em umas das cenas, ela diz “Nunca disse: cuidado com os homossexuais, transexuais e gays. Eu nunca disse isso, eu disse: cuidado com os autoindulgentes e os hipócritas, cuidado com aqueles que se imaginam virtuosos e proferem julgamento, aqueles que condenam os outros e se consideram bons. Seus lábios são cheios de bondade, mas seus corações estão plenos de ódio”. Ao final, ela divide o pão e o vinho com o público presente, assim como Jesus fez com seus apóstolos na Santa Ceia

          O evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu será exibido dentro da programação teatral do 28º Festival de Inverno de Garanhuns na quinta-feira (27/7),  sendo uma das atrações da Terceira Mostra de Teatro Alternativo.


POLÊMICA VAI PARAR NA JUSTIÇA


CENSURADA JUNDIAÍ SP

          Em setembro de 2017, uma decisão do juiz Luiz Antonio de Campos Júnior, da 1ª Vara Cível da cidade censurou o espetáculo. Na época ele escreveu na sentença; figuras religiosas e sagradas não podem ser "expostas ao ridículo".

       O magistrado considerou o espetáculo de "mau gosto" e explicou que sua intenção com a decisão era impedir um ato que "maculará o sentimento do cidadão comum”. Na sentença, o juiz, também fez questão de ressaltar que não se tratava de censura prévia e que não se pode confundir "liberdade de expressão" com "agressão e falta de respeito". Posteriormente o TJ derrubou a decisão cassando a liminar do juiz que determinou o cancelamento do espetáculo.

LIBERADA EM PORTO ALEGRE

       "E, sem citar um único artigo de lei, vamos garantir a liberdade de expressão dos homens, das mulheres, da dramaturga transgênero e da travesti atriz, pelo mais simples e verdadeiro motivo: porque somos todos iguais". Com esse entendimento, o juiz José Antônio Coitinho, da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre negou  pedido de suspensão da peça em setembro de 2017 na capital gaúcha.





MARILIA ARRAES E FERNANDO FERRO EM GARANHUNS PRÓXIMA SEXTA-FEIRA


IZAÍAS VOLTA A COBRAR MAIOR PARTICIPAÇÃO DE GARANHUNS NA ELABORAÇÃO DO FIG



             Durante o anúncio oficial da programação do FIG 2018, ocorrida na manhã de hoje, dia 28, no Garanhuns Pallace Hotel, e durante sua fala muito aplaudida,  o Prefeito Izaías Régis (PTB)  cobrou uma maior participação da Cidade no planejamento do Festival de Inverno.  “A sociedade de Garanhuns precisa estar inserida no Festival de Inverno. Não podemos estar ausentes do Festival de Inverno. Precisamos discutir, porque é aqui que tem o Festival”, chamou a atenção Izaías, registrando em seguida que o FIG deste ano terá 24 camarotes a menos que a edição passada. “Antes era uma briga pelos camarotes! Ano passado sobraram 9 e neste ano vamos diminuir 24”, pontou Régis, sinalizando a queda no interesse pelo Evento.

MR PRODUÇÕES COMUNICA QUE MARIA RITA NÃO FARÁ PARTE DA GRADE DE PROGRAMAÇÃO DO 28º FIG




Eperamos que tudo possa se resolver e Garanhuns vivenciar momentos de alegrias com a cantora.

PALCO INSTRUMENTAL 28º FIG




                    A música instrumental está presente em mais uma edição do Festival de Inverno de Garanhuns. O palco no Parque Ruber van der Linden recebe, a partir da terça-feira (24), atrações como o Maestro Duda, a Banda Musical Curica e o Maestro Ademir Araújo (três Patrimônios Vivos de Pernambuco), o pianista Vitor Araújo, o saxofonista Leo Gandelman, e o guitarrista baiano Armandinho, que encerra a programação do polo no sábado (28), em um show com o arcodeonista Beto Hortis.

PALCO DE CULTURA POPULAR ARIANO SUASSUNA



Sábado 21


13h – Grupo Infância Rimada
13h30 – Dupla de repentistas: Raimundo Caetano e Zecarlos do Pajeú
14h – Clube Carnavalesco Marim dos Caetés
16h – Caboclinho 7 Flexas (Patrimônio Vivo de Pernambuco)
17h – Cavalo Marinho Boi Pintado
19h – Bloco da Saudade
20h – Afoxé Oxum Pandá


Domingo, 22/7

Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna

13h30 – Damião Carlos Violeiro
14h – Troça Carnavalesca Mista John Travolta
15h – Clube Carnavalesco Misto Toureiros de Santo Antônio
16h – Grêmio Recreativo Boi Pavão
19h – Afoxé Ogbon Obá

Segunda-feira, 23/7


Palco de Cultura Popular

13h – Aécio dos 8 Baixos
14h – Bloco Caravana Andaluza do Engenho Abreus
15h – Mestre Santino Cirandeiro e Encontro de Gerações
16h – G.R.C.A. Gigante do Samba
19h – Orquestra do Marinho
20h – Quadrilha Junina Zabumba

Terça-feira, 24/7

Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna

13h – Batakosso
14h – Cavalo Marinho Estrela de Ouro
19h – Bloco Carnavalesco Misto Flor da Lira de Olinda
20h – Afoxé Povo de Ogunté



Quarta-feira, 25/7

Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna

15h – Grupo Nossa Arte – Cavalo Marinho
17h – Clube Carnavalesco Bolo de Ouro
18h – Ciranda Praieira Pernambucana
20h – Bloco das Flores

Quinta- feira Parque Euclides Dourado


Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna
13h – Sociedade dos Bacamarteiros do Cabo (Patrimônio Vivo de Pernambuco)
14h – Repentistas Antônio Lisboa e Edmilson Feitosa
15h – Grupo Nossa Arte – Bumba meu Boi APAExonado
16h – Escola de Samba Galeria do Ritmo
17h – Banda de Pífano Fulni-ô
19h – Boi da Macuca
20h – Bloco Carnavalesco Lírico Cordas e Retalhos


Sexta-feira Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna

17h – Obá Aiye
18h – Clube Carnavalesco Calu Mulher

Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna
14h – Reisado de Inhanhuns
17h – Ciranda Pernambucana de Olinda do Mestre Ferreira
18h – Caboclinhos de Tapirapé
Palco Instrumental
17h – Drass Session Band
19h – Leo Gandelman (RJ)
20h – Ritmos de Bamba – Armandinho (BA) e Beto Hortis 

SOM NA RURAL NO 28º FIG




Parque Euclides Dourado

 19h – Daniel Bento
20h20 – Livia Matos
22h30 – Mestre Luiz Paixão
Intervalos e fim de noite: DJ Novato



20h20 – Pierre Tenório
22h30 – Gilu Amaral



  18h – Número Circense – Duo Simetria: Helder Vilela e Paulo Maeda (SP)
19h – Banda Viruz
20h20 – Bande Dessinée
22h30 – Vertin Moura
Intervalos e fim de noite: DJ Rimas INC


19h – Vinicius Barros
20h20 – Tiné – Equilibrista
22h30 – Ceumar (MG)


21h20 – Paulo Neto


21h20 – Gabi da Pele Preta


21h20 – Helton Moura


21h20 – Madimboo


21h20 – Isaar






MÚSICA NA CATEDRAL NO 28º FIG - VIRTUOSI NA SERRA




MÚSICA NA CATEDRAL
Local: Igreja de Santo Antônio

Programa do Conservatório Pernambucano de Música

Quinta-feira, 19/07

21h – Wagner Tiso Trio

Sexta-feira, 20/7

16h – Orquestra de Câmara de Pernambuco
Solista: Maria Clara Fernandes. Regência: José Renato Accioly
21h – SaGRAMA (convidado: Hamilton de Holanda)

Sábado, 21/07

16h – Show “10 Anos sem Caymmi”
Danilo Caymmi (Voz e Flauta), Flávio Mendes (Violão), Itamar Assiere (Piano), Paulo Vicente (Bateria),
Nilson Raman (Mestre de Cerimônias), José Luiz Maia (Baixo). Participação especial: Carmen Monarcha.
21h – Ná Ozzetti, Dante Ozzetti e Patrícia Bastos

Domingo, 22/07

16h - Orquestra de Câmara de Pernambuco, Coro de Câmara do Conservatório Pernambucano de Música,
Grupo Liberi e Solistas. Regência: José Renato Accioly.
21h – Carmen Monarcha (soprano) e Daniel Gonçalves (piano)

Segunda-feira, 23/07

16h - Badi Assad (voz), Lívia Matos (acordeon) e Simone Souto (percussão)
21h – Mônica Salmaso (voz) e Marco Pereira (violão)

Sexta-feira, 27/07

21h - Pianorquestra

Sábado, 28/07

16h – Francis Hime, Olívia Hime e Orquestra de Câmara de Pernambuco. Regência: José Renato Accioly.
21h – Lívia Nestroviski (voz) e Fred Ferreira (guitarra)


Programa do XIV Virtuosi na Serra

Terça-feira, 24/7

16h - Quinteto Sopro Brasil
21h - Orquestra Jovem de Pernambuco, com Adriane Queiroz (soprano) e Rafael Garcia (regente)

Quarta-feira, 25/7

16h - Victor Asuncion (piano)
21h - João Paulo Ferreira (contratenor) e Victor Assuncion

Quinta-feira, 26/7

16h - Sexteto Brassil
21h - Flauta de Bloco (UFPE)

Sexta-feira, 27/7

16h - Canto de Uma Nação
Canções típicas brasileiras de Heitor Villa-Lobos
Gleyce Melo (soprano), Marcelo Ferreira (barítono), e Vitor Philomeno (pianista)




QUILOMBOLAS NO 28º FIG





COMUNIDADE QUILOMBOLA ESTIVAS

Segunda-feira, 23/07

15h - Roda de Histórias com para Crianças com Luciana Almeida

Terça-feira, 24/07

15h - Roda de Histórias com para Crianças com Luciana Almeida


COMUNIDADE QUILOMBOLA CASTAINHO

Quarta-feira, 25/07

15h - Roda de Histórias com para Crianças com Luciana Almeida

Quinta-feira, 26/07

15h - Roda de Histórias com para Crianças com Luciana Almeida

Quinta-feira, 27/07

10h - Roda de Histórias com para Crianças com Luciana Almeida