terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

MÃES INVADEM ARENA E DIZEM NÃO À VIOLÊNCIA

Por Daniel GomesRecife

Mães dos membros de torcida organizada no clássico Sport x Náutico (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

Escoltados pela Polícia Militar, torcedores organizados chegam à Arena Pernambuco. Enfileiram-se e tiram o ingresso do bolso para passar pelas catracas. Entram no palco da partida e, quando começam a entoar gritos de ordem, se deparam com seguranças de rostos bem conhecidos: suas próprias mães. Foi o que aconteceu antes do clássico entre Sport e Náutico, neste domingo. A ação, inédita, logicamente pegou de surpresa os uniformizados.

Vale salientar que nos estádios pernambucanos, é proibida a entrada de qualquer coisa que caracterize uma torcida organizada, como camisas, bandeiras e instrumentos. Mas, sem os trajes característicos, alguns continuam frequentando as praças esportivas e entoando gritos de ordem característicos das uniformizadas. A iniciativa foi idealizada por uma agência internacional como mais uma medida de combate à violência. Há uma semana, na primeira rodada do Campeonato
 Pernambucano, cenas lamentáveis foram registradas antes de Sport x Santa Cruz.
Cerca de 30 mães se dividiram nas seguranças do setor onde são instaladas normalmente as organizadas. Todas elas, na torcida do Sport. Cristyane dos Santos Almeida era uma delas. Mãe de Jonatas Santos da Silva, de 22 anos e membro da principal organizada do Sport.
egurança e tiraram algumas dúvidas.
Mães dos membros de torcida organizada no clássico Sport x Náutico (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

- Acho que ele é da Torcida Jovem desde a primeira vez que foi para o campo. Não sei nem quem levou. Ele escondeu de mim durante um bom tempo que era da Torcida Jovem. Só me disse quando já estava maior de idade. Ele já se meteu em algumas fugindo de confusões... Por isso que eu acho válida esta ação.

Os integrantes entraram no no estádio enquanto eram observados pelas mães. Antes, elas receberam um treinamento da segurança da Arena Pernambuco, da Polícia Militar e ainda conheceram o controle mestre de segurança do estádio, onde viram as imagens das câmeras de segurança e tiraram algumas dúvidas.
ais próximo ao início do jogo, as mães ficaram no aguardo dos filhos nas arquibancadas. Enquanto entravam, as reações eram as mais diversas. Teve torcedor que não conseguiu segurar as lágrimas. Todos, sem exceção, cumprimentaram as mães com um abraço.

Mães dos membros de torcida organizada no clássico Sport x Náutico (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)Mãe e filho se abraçam na arquibancada durante o clássico deste domingo Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

- A presença delas evitam a violência, com certeza. E estádio de futebol é lugar de família, de paz - disse Jonatas Santos da Silva, filho de Cristyane.

Dentro de campo, o time do Sport chegou a entrar com uma faixa com os dizeres "Hoje quem faz a segurança são as mães dos torcedores. Respeite". No telão da Arena Pernambuco foi exibido um clipe com imagens delas pedindo paz nos estádios. A frase de efeito da ação resumia o pedido: "Tem coisa que torcedor não faz na frente da mãe. Brigar em estádios é uma delas".