quarta-feira, 2 de setembro de 2015

GREVE NA UPAE PREOCUPA SECRETÁRIOS DO AM

                 Os secretários e secretarias municipais dos municípios do Agreste Meridional de Pernambuco, estão muito preocupados com o caos que se instalou na UPAe - Unidade de Pronto Atendimento Especializado, que está localizada na cidade de Garanhuns. A greve dos médicos que atendem na UPAe, tem uma única razão, falta de repasse para pagar aos profissionais. Todas as consultas pré-agendadas para o atendimento especializado. Segundo um usuário do SUS e que esteve na UPAe na manhã dessa terça-feira, 01/09, só estavam atendendo a população, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional e alguns tipos de exames.

                Na recepção da Unidade de Pronto Atendimento Especializado, informaram que todas as consultas marcadas, foram temporariamente canceladas e posteriormente, quando pagarem aos médicos, serão remarcadas.

              Outras informações chegadas na redação desse blog, os médicos são contratados através da OSIP (empresa) e o estado não fez o repasse para a referida empresa para que ela pague aos profissionais que foram contratados para trabalhar na UPAe. Toda a região pertencente a V GERES está afetada. 

               Interessante, que o governador Paulo Câmara, em seu obsoleto discurso, disse em "alto e bom som" que o ESTADO MELHOROU, inclusive, sendo muito aplaudido pelas autoridades presentes...

               Pergunta-se, será que esse caos instalado na SAÚDE é sinônimo de melhoria? Será que deixar a população e os municípios, sem o básico do básico, ou seja, sem ter direito a fazer uma consulta, é sinônimo de melhoria?

               Será que deixar acontecer esse desordenamento na SAÚDE e estar querendo aparecer bem na foto, é sinônimo de melhoria como enfatizou o senhor governador? Isso é uma questão administrativa ou a culpa no final é da Dilma, aquela que o governo tem uma eterna simpatia?

             Quer dizer que aquele cidadão que tinha a esperança de fazer uma consulta com um médico-especialista e que o seu município de origem fez "tripas, coração" para conseguir uma vaga, todo mundo vai ficar "chupando o dedo"? Aliás, diante da complexidade, o cara nem o dedo chupa, por que morre muito antes.

                 Está mais do que na hora da população pressionar, cobrar seus direitos, cobrar do Ministério Público, por exemplo, para que a situação seja sanada o breve possível. O que não pode é o direito do cidadão continuar sendo negado e as autoridades se escorando na CRISE, como se fosse um bicho de sete cabeças.

poeta