quarta-feira, 15 de outubro de 2014

UMA MULTIDÃO ACOMPANHOU O ADEUS DE "SEU" JOSÉ CALADO - PREFEITO DE ANGELIM POR TRÊS VEZES


O município de Angelim ficou pequeno demais para receber uma multidão que invadia o “Casarão dos Calado” para dizer “adeus” e acompanhar a família enlutada até a morada final do  “velho” e querido José Calado, ex prefeito por 3 mandatos.

Embora a morte seja muito triste, abro um parentese para  lembrar  que a vida desta lenda, José, foi longa. 96 anos em que Deus lhe concedeu o direito de ver crescerem seus 14 filhos(entre eles a saudosa Silvia Calado, homenageada pela prefeitura de Garanhuns com nome de escola), muitos netos e bisnetos crescerem, se educarem, colocar em pratica seus ensinamentos, ética, e seu desejos incontidos de cuidar das coisas e das pessoas de maneira grandiosa.
.

 Foi um grande empresário, dono do Posto Esso na avenida Rui Barbosa onde morou muitos anos. Entretanto, foi como pol[itico que se realizou. Senhor de   grandes atos, lutou bravamente pela cultura, educação e qualidade de vida aos  munícipes de Angelim, hoje liderados pelo seu filho Dr. Marcos Calado que herdou todo o carisma, popularidade do pai, também enveredando  pelos caminhos tortuosos e obscuros da política.

Amante das comunicações, enquanto prefeito de Angelim ousou e deixou registrada com letras de ouro na história do lugar a ligação, por telefones, do município com a zona rural. Marcou época como radioamador e no triste episódio da morte de Dom Expedito Lopes, o bispo morto pelo Padre Hosana,  o mundo inteiro se ligou a Garanhuns através da estação de rádio de Calado que, embora sendo um trágico pesar, deu uma contribuição infinita de visibilidade à cidade de Garanhuns.

       Deus cumpre suas promessas e entre centenas de flores, amigos emocionados, família entristecida, conterrâneos, autoridades oriundas das mais diversas cidades e capital do Estado e de outros estados da federação,  politicos, médicos, professores, bancários, advogados, juízes, imprensa, entre outros, “seu” José Calado voltou para casa. 
       Que ele descanse em paz.  A nós resta a saudade e a graça de ter convivido, e aprendido muito, com uma figura tão nobre. Tão abençoada.

 Da redação Sináculo
           Texto: Selma Mello
 Fotos: Gidi Santos