domingo, 23 de novembro de 2014

FACULDADE DE MEDICINA EM JABOATÃO ? REAJA PREFEITO IZAIAS!


           Meu caro Isaias: Sei que algumas questões incomodam, mas sinto-me obrigado a levantá-las. Não tenho nada de pessoal contra você, muito pelo contrário: tenho grande estima pelo garoto comerciário, recém- chegado de sua terra, que em plena ditadura colocava em risco seu emprego para ajudar minha campanha de oposição pelo velho MDB. Você sabe que eu sempre reconheci a sua coragem quando, na época, muitos do que hoje posam de democratas faziam a apologia da ditadura.

      Ocorre que você é o supremo mandatário de nossa terra e, por isso mesmo tem responsabilidades inarredáveis em decorrência do exercício a que se propôs no comando político e administrativo de GARANHUNS que, para isso, exige uma visão de futuro compatível com as nossas necessidades e planejamento estratégico dirigido ao Agreste Meridional, uma vez que não somos uma ilha, como as visões estreitas imaginam. Cabem, portanto, algumas perguntas pertinentes à questão:

    Lembra da reunião na Câmara de Vereadores do Recife, em defesa da FAMEG, ocorrido em setembro do ano passado, em que você comunicou que estaria indo a Brasília , na semana seguinte, em companhia do Senador Armando Monteiro, para uma audiência com o ex-Presidente Lula, destinada a reivindicar a autorização da reabertura da Faculdade de Medicina que estaria sendo sabotada por forças não muito ocultas, a despeito de depender de dois Ministérios - Educação e Saúde – comandados pelo partido aliado ao seu PTB ?.

    Até hoje, ninguém teve notícias do resultado dessa audiência apesar de reclamado e, eu mesmo, cobrei de público, através das redes sociais, e não mereci qualquer resposta, nem sua nem do PT de Garanhuns. Excepcione-se, por questão de justiça, o comportamento do nosso amigo Deputado Fernando Ferro que foi exemplar.

    O programa “Mais Médicos” deu novas esperanças aos garanhuenses, uma vez que, além da importação de médicos estrangeiros era, como complementação do programa, a formação de novos médicos no Brasil (conforme anunciado pela própria Presidente Dilma, precisávamos formar mais 14.000 novos médicos até 2015) e a interiorização dos novos cursos de medicina, como instrumento de atração para os novos médicos permanecerem em áreas próximas às suas origens.

    De repente, meu caro Isaias, será que você soube que no dia 25 de setembro último, o Ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou a autorização de funcionamento de 39 (TRINTA E NOVE) novas escolas de Medicina no Brasil, inclusive uma – sabe onde Isaias ? – em Jaboatão dos Guararapes numa bela demonstração dos objetivos de interiorizaçao (?) do programa. Deve ser uma piada, não é Isaias ?


E onde fica a Fameg ?, UMA ESCOLA PRONTA, COM TODOS OS REQUISITOS PREENCHIDOS, LABORATÓRIOS MONTADOS, BIBLIOTECA DE CAUSAR INVEJA A OUTRAS ESCOLAS, CONVÊNIOS HOSPITALARES ASSINADOS, COM DOIS PERÍODOS ESCOLARES JÁ CUMPRIDOS, NOTA 4 (quatro) DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO é preterida por uma em Jaboatão! Dá pra entender ?

    E você sabe ainda que esse Ministro declarou à imprensa ( está em todos os jornais !) textualmente: “A abertura de uma faculdade de medicina em Jaboatão dos Guararapes é um esforço que o Governo Federal vem fazendo para INTERIORIZAR as vagas de graduação” ? Pelo visto, o seu ministro aliado, Isaias, deve ter sido um péssimo estudante de geografia e, como se não bastasse, também portador de péssima visão, desde que bastava olhar em sua volta, avistaria o mar e restaria convencido que estava no litoral e não no interior do Estado.

    Amigo Isaias: Você está legitimado, democrática e institucionalmente, para ser o representante do Município, para falar pelo Município, para protestar pelo Município, para reivindicar para o Município. Apesar de importantes, caro amigo, não são bastantes os calçamentos de ruas, as querelas de vereadores em busca de poder, campinhos de futebol em área nobre para satisfazer projetos ambiciosos de vereador para garantir votos, etc. Impõe-se, sim, os projetos estruturadores que fortalecem a economia, através da geração de postos de trabalho e renda para aumentar a capacidade de compra da população. É preciso garimpar e identificar as oportunidades de investimentos, adequados à demanda, a produção de matéria-prima e qualificação de pessoal. Será que você ainda tem alguma dúvida quanto a importância do funcionamento da FAMEG para Garanhuns e toda região do Agreste, como indutora de desenvolvimento?

    Reaja amigo, vamos para as ruas lutar por Garanhuns e tenha a certeza que a população estará a seu favor e todos nós estaremos ao seu lado.


Grande abraço de Ivan