segunda-feira, 20 de julho de 2015

ALTAMIR DENUNCIA ROUBO NO PAU POMBO DURANTE O FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS E PEDE EXPLICAÇÃO AO PREFEITO E À SECRETÁRIA DE TURISMO

Por Altamir Pinheiro

          O aprazível parque Ruber Van Der Linden, popularmente conhecido como Pau Pombo, nunca na história desta cidade esteve tão em boas mãos como se encontra hoje com o seu respectivo administrador, uma pessoa do ramo com profundo conhecimento de jardinagem, muito zeloso no que faz e totalmente dedicado a conservação dos canteiros de flores e, evidentemente, com a estética e embelezamento do parque. Sua limpeza(varrido três vezes ao dia) e a higiene do seu banheiro é de encher os olhos. Dá gosto e nos envaidece muito ver a preocupação do zelador por tamanha higienização daquele cartão postal visitado diariamente pelos turistas de todo o Brasil e do mundo inteiro.

            Pois bem!!! O mesmo não se pode dizer do bar (BAMBU BAR), localizado na área central do parque e o seu “DONO” que há mais de 20 anos se arranchou por lá, e pasmem: nunca pagou um centavo sequer da água consumida, energia, aluguel ou arrendamento do recinto. Mesmo assim, cobra preços aviltantes, chegando ao ponto de vender uma cerveja pela quantia de R$ 10,00, além da cobrança obrigatória de 10% do garçom e exploração de côver de artistas ou cantores mixuracas que se apresentam no acanhado palco, chegando ao ponto de uma loira gelada ficar pela bagatela de 13 ou 15 reais. O “DONO” do bar, Transformou-se, quem sabe, num voluntarista vivaldino, um palhaço da desonestidade em meio aos supostos possuídos e endinheirados turistas que nos visitam a cada ano do FIG, donde, suas cuecas ou caçolas são tiradas pelo pescoço.

              As brigas entre clientes, garçons e o suposto “DONO” são constantes. A grita é geral tanto no preço quanto na higiene e, consequentemente, no roubo escancarado de boa parte dos garçons ao apresentar a respectiva conta, denegrindo, severamente, a imagem de Garanhuns e do próprio FIG. Na verdadeira acepção da palavra são 10 dias de roubo durante o transcorrer do festival. Em matéria de ladroagem(em seu comércio), Esse rapaz que é uma caricatura de comerciante, no que diz respeito a exploração aos turistas desavisados só não perdeu a vergonha de vez, porque quando se perde alguma coisa, só se perde aquilo que se tem. Ou, traduzindo do cara de pau para o cara de pau: ninguém perde o que não tem!!!

                Prosseguindo neste mesmo diapasão, a cozinha do bar é um verdadeiro vaso sanitário, literalmente... Tem-se como prova maior o cozimento da não higienizada e sebosa tripa de porco ou mesmo o queijo de coalho vencido e porque não dizer do arroz azedo que perambula nos “freeze” Por semanas e mais semanas, como também as frituras de carnes, sejam de galinha, carne-de-sol, charque ou codornas que são torradas no mesmo recipiente e o óleo comestível chega a ficar saturado por ser o mesmo durante dias e mais dias naquele mesmo tacho. Teme-se ou suspeita-se que, ao fazer uma refeição naquele ambiente que parece mais uma pocilga, o desavisado turista ao chegar no seu hotel ou pousada em que esteja hospedado corra logo para a louça de porcelana se acabando feito diarreia na privada...

              Finalmente, só falta mesmo a prefeitura OFICIALIZAR a gatunagem naquele ambiente, porque o funcionamento daquele bar já é ilegal de fato e de direito. Com a palavra a secretária de turismo ou, quem sabe, o nosso querido prefeito de Garanhuns...

*ESTE ARTIGO É DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE QUEM O ESCREVEU.