segunda-feira, 26 de outubro de 2015

ENEM VIRA CASO DE POLICIA EM GARANHUNS


                             Um fato ocorrido esta tarde no Colégio Santa Sofia, durante a realização do segundo dia do Enem, acabou na polícia. O jovem Gustavo Ramos Marques, foi eliminado, antes do início das provas, ficando "preso" em uma sala por duas horas, sob argumento que tinha escrito algo no papel de rascunho antes da prova. O incrível é que a coordenadora chegou a dizer que sabia que "estava fazendo uma injustiça, mas tinha que fazer!". Segundo Gustavo, na interpretação da coordenadora "ele poderia filar a prova depois!!". As anotações eram fórmulas que o candidato anotara para não esquecer quando fosse responder a prova.
                 A possível arbitrariedade levou os familiares do jovem a tomarem a decisão de levar o caso à justiça, pois se as anotações eram dele - ninguém fila de si próprio e a prova sequer tinha sido entregue. "A eliminação acabou sendo muito injusta, pois Gustavo não foi flagrado burlando o exame". - afirmou
                  Gustavo Ramos foi à Delegacia da Polícia Civil, acompanhado de seus pais Isabele e Marcelo Marques, e os tios Ivanice, Audálio, Verinha e Naldo, e abriu um Boletim de Ocorrência. Também irá procurar a Justiça Federal, reclamando os efeitos danosos da ação considerada injusta, que o fez ser eliminado do ENEM, que qualifica os estudantes de todo o Brasil para as mais diversas faculdades e cursos superiores.
 Com informações de Jackson Fitipaldi