terça-feira, 11 de abril de 2017

MORRE NO MIGUEL ARRAES JOVEM BALEADO E ARRASTADO POR POLICIAL EM ITAMBÉ

           


Após levar tiro, jovem foi arrastado e agredido por policial militar
Vídeo/reprodução
Ciara Carvalho

           O jovem Edvaldo da Silva Arraes, 19 anos, baleado por um policial militar durante protesto em Itambé, morreu na madrugada desta terça-feira (11), no Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista. Edvaldo foi atingido com um tiro de borracha, disparado no dia 17 do mês passado, quando participava de uma manifestação para exigir mais segurança na cidade. Ele estava internado na UTI e apresentava uma infecção na perna, local atingido pelo tiro. A família do rapaz foi comunicada ainda de madrugada pela direção do hospital. A notícia chocou os moradores da cidade, que estão exigindo que os policiais sejam presos pelo crime de homicídio.

           De acordo com o advogado da família de Edvaldo, Ronaldo Jordão, o hospital entrou em contato com o irmão da vítima. “Estamos todos estarrecidos. A família está desolada. Desde cedo, a rádio de Itambé só fala sobre isso. A cidade está parada, indignada com a morte gratuita e criminosa desse rapaz”, afirmou o advogado.

             O Governo de Pernambuco emitiu nota lamentando a morte de Edvaldo e afirmando que os policiais envolvidos no caso sendo devidamente investigados.

            O Governo do Estado de Pernambuco lamenta profundamente o falecimento de Edvaldo da Silva Alves e reafirma o seu firme compromisso de desautorizar e impedir qualquer abuso de força por parte das polícias do Estado. Toda ocorrência será tratada com a firmeza e responsabilidade necessárias.

           A apuração do ocorrido está em andamento, estando os policiais envolvidos no caso sendo devidamente investigados. Por meio da Secretaria de Saúde do Estado, foi prestada toda assistência médica qualificada a Edvaldo desde o momento do seu atendimento.

           O Governo do Estado se solidariza com os familiares e os amigos de Edvaldo. E fará o que estiver ao seu alcance para que todo o episódio seja esclarecido e que a Justiça seja feita.

             A agressão contra o jovem foi gravada e o vídeo viralizou nas redes sociais. Nas imagens, aparece um oficial da PM dando ordens para que Edvaldo seja “o primeiro a receber o tiro”. Logo depois, o jovem é baleado e cai no chão. Ele é arrastado e agredido por um oficial até ser colocado na carroceria da viatura.

            Na tarde desta segunda-feira (10), o Hospital Miguel Arraes divulgou um boletim médico sobre o estado de saúde de Edvaldo. No comunicado, o hospital informava que o paciente apresentava uma “melhora lenta, mas progressiva no quadro respiratório, cada dia precisando menos do suporte mecânico.”

                  O quadro, no entanto, ainda era preocupante. “Vem apresentando febre, o que representa ainda um quadro não resolvido de infecção. O uso de antibiótico será prorrogado”, diz o comunicado. No vídeo, após receber o tiro e com a perna coberta de sangue, o jovem é arrastado pelo chão e ainda agredido pelo oficial da Polícia Militar. Depois, é jogado na carroceria da viatura.

              As visitas ao paciente permanecem restritas à família, em horários determinados. De acordo com o hospital, a partir de agora, não haverá mais divulgação de novos boletins médicos para a imprensa. As informações sobre o estado de saúde da vítima serão repassadas apenas aos familiares.




http://jconline.ne10.uol.com.br/