quarta-feira, 4 de abril de 2018

FUNDAÇÃO DO ÁGORA — DEMOCRACIA PARTICIPATIVA OS PRIMEIROS PASSOS EM BUSCA DA RENOVAÇÃO




              Esta data de 1º de abril de 2018 foi marcada pela fundação do Ágora Democracia Participativa, na cidade de Garanhuns – PE. Quinze pessoas idealistas, mas idealistas de ação, ao ponto de, em plena manhã nublada de um feriado de domingo, deslocarem-se de suas casas e dispensarem outros afazeres e prazeres para se dedicarem a uma causa: marcar a oficialização de uma iniciativa que já vem de algum tempo no sentido de incentivar a efetiva participação popular nas decisões políticas.

             A versão mais aceita a respeito da origem do Dia da Mentira é a de que, na Idade Média, os europeus comemoravam o 1º de abril como ano novo, que é o início da primavera no Hemisfério Norte. Com a adoção do Calendário Gregoriano (este que seguimos hoje) no século XV, o início do ano foi transferido para o dia 1º de janeiro. Porém, muitas pessoas resistiram à adoção do novo calendário e continuaram a comemorar na data anterior. Por causa disso, essas pessoas passaram a ser alvo de brincadeiras no 1º de abril e recebiam presentes falsos.

           Hoje, quase ninguém falou do Dia da Mentira, porque a data coincidiu neste ano com o Domingo de Páscoa, no qual os cristãos comemoram a ressurreição de Jesus Cristo. Nesse contexto, a data se torna bastante simbólica por estar ligada à ideia de ressurreição, que converge para a ideia de renovação política que todos os apoiadores do Ágora têm em mente. O Dia da Mentira também não ficará de fora nos anos vindouros, se pensamos na origem que marca um novo ano.

           A reunião de fundação do Ágora Democracia Participativa teve enfoque na discussão sobre o estatuto do coletivo e na escolha dos membros responsáveis por questões administrativas fundamentais para o funcionamento mais organizado do grupo. Estavam presentes: César Rocha (profissional de Marketing e Propaganda, um dos idealizadores do Ágora, eleito presidente por aclamação), Rute Ferreira (militante pelos direitos dos idosos, segunda secretária), João Batista Oliveira (educador social, conselheiro fiscal suplente), Petrônio Silva (conselheiro fiscal titular), Paulo Tenório (firme atuante em campos da sociedade civil), Andréa Litiery (professora, primeira tesoureira), Antônio Silva Júnior, Heloísa Santos (professora, eleita vice-presidente), Aguinaldo Barros Neto (analista judiciário, primeiro secretário), Aline Venâncio (conselheira fiscal suplente), Robert Kemper (voltado para as questões do meio ambiente, segundo tesoureiro), Johnny Martins (professor, conselheiro fiscal titular), Ana Cláudia Pinto e José Pereira (professor).

              A reunião foi marcada ainda pela memória de Diego Carneiro, tornado membro honorário por ser um dos idealizadores do Ágora e por sua atuação em vida. Seu sonho segue firme em nossos corações e na vontade de provocar mudanças sociais de justiça e igualdade.

João (Johnny) Martins
Professor de Literatura Inglesa (UFRPE/UAG)
Mestre em Teoria da Literatura (UFPE)
Doutor em Literatura e Cultura (UFPB / Université Blaise-Pascal)