sábado, 16 de maio de 2015

POLICIA CIVIL PARA POR 24 HORAS NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA

   

              Os policiais civis de Pernambuco decidiram fazer uma paralisação de 24 horas na próxima terça-feira (19). Serviços como a emissão de documentos, confecção de boletins de ocorrência e outros serão suspensos. Serão mantidos os flagrantes e locais de crime com a presença da autoridade policial. A decisão foi tomada em assembleia da categoria realizada no início da noite desta quarta (13), na frente do Palácio do Campo das Princesas.

              A votação ocorreu após uma reunião com os secretários-executivos da Casa Civil Marcelo Canuto e André Campos. O objetivo foi tratar da pauta de reivindicações entregue no dia 30 de janeiro. Os manifestantes reivindicam demandas como a equiparação da gratificação com a recebida por delegados, que recebem 225% contra 100% de todo o restante. A categoria também pede melhores condições de trabalho e equipamentos, além de alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos. “A Polícia Civil está em colapso".   Os inquéritos estão se acumulando. Enquanto isso, os bandidos estão soltos. O estado apresentou um quadrimestre bastante violento: 1304 assassinatos. O Pacto pela Vida já era, fruto de um governo ‘perdido’ que somente vê na repressão policial a solução para mudança do quadro e, o que é pior, sem reconhecer os verdadeiros heróis dele (pacto): os policiais. Foi muito trabalho (quase 9 mil vidas salvas), e tanto que daqui saiu um candidato a presidente e ele (governador) que foi eleito. Ele que gosta de dizer que a hora é de trabalhar. Mais ainda? Certamente é para fazê-lo presidente em 2018.   É muito bom aparecer em cima de mão de obra barata, trabalho escravo. Uma coisa é certa: a categoria não vai mais se permitir ser usada como burro de carga para ascensão pessoal de ninguém. Quem quiser, que rebole. E metas, pode guardá-las. Somete tem autoridade para cobrança que tem compromisso e respeito pelo seu servidor. Se nada vem, nada é o troco”, declarou um dos manifestantes presente ao ato. “Por muito tempo a gente foi chicoteado. Quando a coisa não estava a contento, o Coronel-caudilho batia na mesa fazendo tremer a cúpula borra-botas da SDS. 

                  Felizmente, nada é eterno e a tirania também passa. Estamos vivos. Viva nosso movimento!”, declarou outro manifestante.

Sinpol-Pe.